Foto Lua Santos 2

Imagem da Lua cheia capturada em Santos por ocasião da participação do grupo no evento Internacional Global Astronomy Month.Créditos: Juka Oliveira - Astrônomo Amador.

por Juka Oliveira.

Grupo de Amigos Astrônomos Amadores das cidades de Praia Grande através do Observatório PG e de Santos com a comunidade de Astronomia na Rua Santos que se reúnem com seus telescópios, binóculos, câmeras fotográficas e afins levando divulgação científica à toda comunidade. Os eventos são realizados em locais públicos e são organizados de forma espontânea e gratuita, dependendo apenas de contar com céu sem nuvens e que a Lua esteja visível.

WhatsApp Image 2022 04 13 at 15.55.49

O Prof. Dr. Alan Alves Brito apresentará, nesta webconferência, algumas das propriedades básicas da nossa galáxia, a Via Láctea, destacando processos e conceitos astrofísicos ligados à origem dos elementos químicos e como estes nos ajudam a entender a evolução química da Via Láctea e de outras galáxias no Universo.

Para assistir o evento, clique diretamente aqui ou na figura abaixo,

Pion Historia da Cosmologia

Essa webconferência da Prof. Dr. Alexandre Bagdonas (docente da Universidade Federal de Lavras – UFLA) terá como base o artigo publicado em 2018 no Caderno Brasileiro de Ensino de Física, intitulado “O maior erro de Einstein? Debatendo o papel dos erros na ciência através de um jogo didático sobre cosmologia”, que teve como autores, além o próprio Alexandre Bagdonas, também João Zanetic e Ivã Gurgel (ambos do Instituto de Física da Universidade de São Paulo), e que pode ser acessado em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175-7941.2018v35n1p97>.

A constante cosmológica de Einstein, introduzida por ele como uma estratégia para manter seu modelo de universo estático, tem sido divulgada como um dos maiores erros de sua carreira. Em 1922, Einstein avaliou o artigo enviado por Friedmann para um periódico alemão, mostrando que existe uma solução das equações de campo da relatividade geral em que o tamanho do universo aumenta com o tempo. Einstein considerou que Friedmann teria cometido um erro nos cálculos, mas após discutir a questão com um colega de Friedmann, reconheceu seu engano, declarando que a proposta do universo em expansão seria matematicamente possível. Contudo, acreditava que essa ideia dificilmente teria algum sentido físico. Este episódio histórico foi adaptado para o contexto do ensino de Física do ensino médio através da criação de um jogo didático. Neste artigo, analisamos argumentos envolvendo a oposição entre Einstein e Friedmann e as concepções dos alunos sobre o papel dos erros na ciência. Houve um equilíbrio entre o número de alunos que apoiou Einstein ou Friedmann. Muitos dos fãs de Einstein tinham uma admiração ingênua, acreditando que alguém tão inteligente como ele não poderia cometer erros. Por outro lado, os fãs de Friedmann valorizaram sua atitude crítica, desafiando a autoridade de um cientista renomado. Os alunos discutiram se o fato de que Einstein tenha admitido seu próprio erro deveria ou não ser valorizado. Com isso, notamos argumentos interessantes dos alunos sobre o papel dos erros na ciência, que motivaram a problematização do mito dos grandes gênios que nunca erram e cuja autoridade não deve ser questionada.

Para assistir o evento, clique diretamente aqui ou na figura abaixo,

 

Banner 12 PPRMM

Prêmio Professor Rubens Murillo Marques da Fundação Carlos Chagas está com inscrições abertas para sua 12ª edição

Docentes que atuam em Instituições de Ensino Superior públicas ou privadas podem enviar os trabalhos sobre experiências formativas nas licenciaturas a partir do dia 31 de março

O Prêmio Professor Rubens Murillo Marques tem como objetivo valorizar e divulgar experiências que contribuem para a aprendizagem da docência do futuro professor da educação básica. Podem concorrer trabalhos sobre experiências formativas realizadas exclusivamente em licenciaturas no período de até três anos anteriores ao lançamento do edital. 

Os autores dos trabalhos premiados serão agraciados com prêmio de R$ 20 mil, diploma e troféu (réplica de escultura da artista plástica Vera Lucia Richter). Além disso, o detalhamento de cada experiência será publicado na Série Textos FCC.

Desde a primeira edição, em 2011, o Prêmio contou com 791 trabalhos inscritos de instituições de ensino superior públicas e privadas de todas as regiões do país. Com abordagens e áreas de conhecimento diversas, a seleção dos projetos é realizada por uma Comissão de Especialistas e pelo Comitê Executivo do Prêmio.

O nome do Prêmio é uma homenagem ao Professor Rubens Murillo Marques, um dos fundadores e presidente de honra da Fundação Carlos Chagas, em reconhecimento à sua trajetória acadêmica e ao seu empenho no fortalecimento dessa Instituição.

Sobre a Fundação Carlos Chagas

A Fundação Carlos Chagas é uma instituição de direito privado e sem fins lucrativos que vem atuando em duas grandes áreas: Avaliação/Concursos/Processo Seletivo e Pesquisa e Educação. Há mais de 50 anos, é reconhecida pela competência na avaliação de sistemas e pesquisas socioeducativas com promoção de estudos sobre temas direta ou indiretamente relacionados à educação, envolvendo avaliação, seleção de pessoas, políticas públicas, formação e trabalho docente, direitos sociais e relações etárias, de gênero e raciais. 

12a Edição Prêmio Professor Rubens Murillo Marques - Fundação Carlos Chagas

Prestigiando e divulgando experiências formativas realizadas por professores dos cursos de licenciaturas

Inscrições de 31 de março a 30 de maio de 2022

https://www.fcc.org.br/fcc/premios/premio-rubens-murillo-marques

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Para a imprensa

Peças para redes sociais podem ser encontradas na pasta PPRMM 2022

E-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; Telefone (11) 3723 – 4360/4357 Graciele Oliveira ou Luanne Caires

Lorenzetti

Esta webconferência do Prof. Dr. Leonir Lorenzetti pretende discutir a Alfabetização Científica e Tecnológica a partir das concepções acerca deste tema, bem como das práticas existentes a respeito.

Leonir Lorenzetti é professor doutor da Universidade Federal do Paraná, atuando no Departamento de Química e no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática, atuando na Linha Educação em Ciências.

Para assistir o evento, clique aqui ou diretamente na figura abaixo,

 

 

Quantos somos

HojeHoje430
OntemOntem1006
SemanaSemana3420
MêsMês28560
TotalTotal2365067