Autor: Maria Carolina Vieira.

abc mario schenberg

Mario Schenberg viveu uma vida intensa, de atuação marcante nas décadas de grande efervescência cultural no Brasil dos anos trinta aos anos setenta, atuando diretamente na ciência, formação de cientistas e instituições, na política, na promoção e interpretação das artes e de artistas. Professor Catedrático da Universidade de São Paulo, desde 1944, estabeleceu a prática da física teórica e matemática no Brasil.

Autor: Sylvio Ferraz Mello.

abrahao de moraes

Abrahão de Moraes, diretor do IAG-USP de 1955 a 1970, atuou incansavelmente pelo desenvolvimento da Astronomia e das Ciências Espaciais no Brasil. Como uma homenagem feita pela comunidade astronômica internacional, uma cratera da Lua é conhecida, hoje, como a cratera De Moraes
Nasceu em Itapeceríca da Serra, SP, em 17 de Novembro de 1917, filho de José Elias e Guilhermina Pires de Moraes. Foi um dos primeiros alunos da recém criada Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo para onde se transferiu após dois anos na Escola Politécnica e onde graduou-se em Física em 1938. Participou com Mário Schenberg e Walter Schützer do primeiro grupo de pesquisa em Física Teórica criado na USP pelo Professor Gleb Wataghin. Desse tempo são seus primeiros trabalhos publicados pela Academia Brasileira de Ciências.

Autor: Amelia Imperio Hamburger

abc marcelo damy

Marcello Damy de Sousa Santos desenvolveu uma técnica que permitiu a descoberta dos chuveiros de raios cósmicos penetrantes, trabalhou na fabricação do sonar brasileiro, desenvolveu o Betraton, a primeira máquina nuclear no Brasil, e teve papel fundamental no desenvolvimento das pesquisas em Física no país.
Marcello Damy de Sousa Santos, nasceu em 1914. Ingressou na Escola Politécnica de São Paulo em 1933. Assistia aos cursos de matemática de Luigi Fantappié e de física de Gleb Wataghin que o chamou para lecionar na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras no momento da criação da USP, assim como seus colegas Mario Schenberg e Paulus Aulus Pompéia. Com Wataghin, e logo depois com G. Occhialini, iniciaram suas carreiras de professores e pesquisadores em física.

Autor: Ildeu de Castro Moreira.

amoroso costa

13 de janeiro de 1885 - 3 de dezembro de 1928
Rio de Janeiro, RJ
Física e outras áreas de ciência

Manoel Amoroso Costa, engenheiro, matemático e professor da Escola Politécnica, teve um papel de destaque na ciência brasileira nas primeiras três décadas do século XX.

Autor: Francisco Caruso

abc jose leite lopes

Leite Lopes era, sobretudo, um homem apaixonado, movido por um apurado senso ético e estético. Acreditamos não ser possível separar o ser humano de sua atividade profissional e Leite, portanto, deixava essa sua paixão transbordar também na Física que fazia, sem perder nunca de vista a dimensão social do cientista.

Swieca foto

Jorge André Swieca (1936-1980)

Autor A. Luciano L. Videira (Departamento de Física, Universidade de Évora)

 

Resumo: “Responsável pela implantação no Brasil da investigação sistemática em Teoria Quântica de Campos (TCQ) – sobre cujas propriedades estruturais vai particularmente incidir o seu interesse – Jorge André Swieca é o pioneiro isolado que irá desenvolver a essência da sua obra em duas principais vertentes: uma que consiste em dois teoremas estruturais gerais, obtidos sem o emprego de modelos lagrangeanos específicos (3) e a outra em que ele lança mão de modelos lagrangeanos bidimensionais concretos. 

Quantos somos

HojeHoje1059
OntemOntem1218
SemanaSemana5339
MêsMês20318
TotalTotal1346300