por Leonardo S.F. dos Santos*.

Se alguém conseguisse ficar vivo na superfície do Sol, a Terra seria vista girando em torno de si mesma e do próprio Sol. O giro da Terra em torno de si é o dia. A volta em torno do Sol é o ano sideral. Aqui, na Terra, o dia é a volta do Sol em torno da Terra, no sentido leste-oeste. Além disso, os terráqueos também observam que a trajetória do Sol no céu oscila no sentido norte-sul. O ciclo norte-sul da trajetória solar vista na Terra é o ano tropical. O movimento do eixo da Terra em relação ao Sol gera uma pequena diferença entre o ano sideral e tropical. Os anos sideral dura 365 dias, 6 horas, 9 minutos e 10 segundo, enquanto o tropical, 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 46 segundos. A razão desta diferença é um pouco complicada para descrever neste texto breve, mas o leitor pode aprender sobre isso neste link. Em geral, os textos didáticos só mencionam a existência do ano de 365 dias e 6 horas, sem especificar os adjetivos tropical e sideral.
Entre 20 e 21 de dezembro, a trajetória do Sol atinge seu extremo sul. No hemisfério sul é o maior dia e menor noite do ano. Analogamente, o hemisfério norte tem o menor dia e a maior noite entre os dias 20 e 21 de dezembro. O fenômeno do Sol atinge o extremo sul entre os dias 20 e 21 de dezembro é denominado solstício. Nos hemisfério sul e norte, os solstício são denominados respectivamente “solstício de verão” e “solstício de inverno”.

Após o dia 20 ou 21 de dezembro, a medida que a trajetória solar se desloca para o Norte, os dias no hemisfério sul continuam mais longos do que a noite, mas a diferença entre ambos diminui. Entre 20 e 21 de março, o dia e a noite ficam com a mesma duração. Nos hemisférios sul e norte, este fenômeno é denominado respectivamente de “equinócio do outono” e “equinócio da primavera”.

Depois do equinócio de março, a trajetória solar avança rumo ao Norte. Os dias passam a ser menores do que as noites no hemisfério sul, ocorrendo o inverso ao norte do Equador. Entre 20 ou 21 de junho, o Sol chega ao extremo norte, um novo solstício. Como o leitor já deve desconfiar, o solstício de junho é de inverno e verão respectivsamente nos hemisférios sul e norte. Este é o menor dia do ano no hemisfério norte, e o maior no sul.

Após o solstício de junho, a trajetória do Sol volta-se ao sul. Nos dias 22 ou 23 de setembro, há os equinócios da primavera e do outono nos hemisférios sul e norte respectivamente. Finalmente, entre 20 ou 21 de dezembro ocorre o solstício de dezembro, com a trajetória solar no extremo sul. O ano tropical fica completo e mais o processo se repete indefinidamente.

O dia tem 24 horas, mas o “dia” (no sentido de período luminoso). O dia e a noite somados tem 24 horas. Isso implica que o dia e a noite têm 12 horas cada? Não.
Durante os dias de primavera e de verão, o dia é maior do que a noite. Em outras palavras, durante a primavera e o verão, o dia dura mais do que 12 horas. Consequentemente, a noite tem menos do que 12 horas. Já no outono e no inverno, a situação se inverte. Nos dias de outono e inverno, o dia perdura menos que 12 horas. A noite fica mais longa do que o dia.
Há apenas dois dias no ano em que o dia e a noite tem 12 horas cada. Nestes dias ocorre um fenômeno astronômico chamado de "equinócio". O prefixo "equi" em "equinócio" lembra a equivalência entre a duração do dia e da noite. Os dias de equinócio variam a cada ano, mas sempre ocorrem nos meses de março e setembro. O primeiro equinócio do ano ocorre entre 20 e 21 de março. Já o segundo equinócio acontece entre 22 e 23 de setembro.
Aproveite e preste atenção no nascer e no pôr do Sol nos dias de equinócio. Repare como o dia e a noite terão 12 horas cada um. No ano de 2020, os equinócios ocorrerão nos dias 20 de março e 22 de setembro.

Em 2020, o solstício de dezembro ficou no dia 21/12/2020.

* Leonardo Sioufi Fagundes dos Santos é professor de Física da UNIFESP e coordenador do Portal Píon.

por Leonardo S. F. dos Santos*

 

Paul Dirac: Emancipador, Transgressor e Libertador      César Lattes – Wikipédia, a enciclopédia livre

Da esquerda para a direita e de bcima para baixo, Marie Curie, Galileu Galilei, Isaac Newton, Albert Einstein, James Clark Maxwell, Max Planck, Ernest Rutherford, Werner Heisenberg, Erwin Schrodinger, Paul Dirac, Stephen Hawking, César Lattes e Emmy Noether. Fonte das fotos: Wikipédia.

Você está lendo este texto em um computador, tablet, celular ou papel. Computadores, tablets e celulares existem graças à Física. Se você está lendo este texto em papel, isso foi devido à uma impressora. Impressoras são resultado da aplicação da Física. Toda a tecnologia moderna originou-se da Física, como por exemplo, lasers, leds, o próprio transporte de energia elétrica que mantém a sociedade ligada, etc.

A Física foi criada pelos físicos e vem sendo aperfeiçoada por eles. Por que não dedicar um dia do ano para esses profissionais? Na verdade, existe um dia do físico, 19 de maio.

Qual a razão da escolaha do dia 19/05 como o "dia do físico"? Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o dia 19/05 não é o aniversário do pai da Física, Issac Newton (04/01), nem do precursor Galileu Galilei (15/02), nem do sistematizador do Eletromagnetismo, James C. Maxwell (13/06), nem do criador da Relatividade, Albert Einstein (14/03), nem dos pais da Mecânica Quântica, Max Planck (23/04), Werner Heisenberg (05/12), Erwin Schrodinger (12/08), nem da mãe da radioatividade, Marie Curie (07/11), nem do pai da Física Nuclear, Ernest Rutherford (30/08), nem do pioneiro das teorias quântico-relativísticas, Paul Dirac (20/10), nem do popular Stephen Hawking (08/01), e nem o descobridor da partícula "píon", o brasileiro César Lattes. (08/05). Aliás, o nome Píon deste Portal é uma homenagem à César Lattes.

A data 19/05 é uma alusão à 1905, o chamado Ano Miraculoso de Einstein. Foi em 1905 que o físico Albert Einstein publicou 4 artigos de grande impacto, incluindo aquele sobre a Teoria da Relatividade. A UNESCO Decretou o centenário do Ano Miraculoso, 2005, como "Ano Internacional da Física".

A Física não é uma ciência acabada, ela continua evoluindo. 

Feliz dia dos físicos, não apenas aos físicos, mas à toda a humanidade!

 

Leonardo Sioufi Fagundes dos Santos é professor de Física da UNIFESP e coordenador do Portal Píon da Sociedade Brasileira de Física.

por Leonardo Sioufi Fagundes dos Santos* 

Todos os anos, a sociedade brasileira e grande parte do mundo se mobilizam para uma festa religiosa, a Páscoa. No cristianismo, a Páscoa é a comemoração da ressurreição de Jesus Cristo após uma execução por crucificação há quase 2000 anos. Paralelamente, lojas e supermercados apresentam um coelho como símbolo da Páscoa e vendem ovos de chocolate. A mídia mistura as figuras de Jesus Cristo e do coelhinho da Páscoa em um apelo quase sincretista.

Icone da Ressurreicao Pion

A origem da astronomia no Brasil está na realeza. Confira o papel de Dom Pedro II na astronimia brasileira no texto A Astronomia e a monarquia no Brasil.

 

por Leonardo S. F. dos Santos*

Muitos motoristas e motociclistas ficam irritados com o limite de velocidade de 50km/h. A proibição de velocidades acima de 50km/h é interpretada como uma restrição à liberdade.

Últimas Postagens

Quantos somos

HojeHoje483
OntemOntem1179
SemanaSemana7450
MêsMês25466
TotalTotal2089392