Nota de Falecimento - Abner E. Shimony

Abner E. Shimony (1928-2015)

No dia 8 de agosto de 2015, morreu, nos Estados Unidos, Abner Shimony. Filósofo e físico, ele deu contribuições importantes à Filosofia e à Física. Ganhou o Lakatos Award, por sua contribuição à Filosofia da Ciência. Assinou com John Clauser, Michael Horne e Richard Holt o artigo seminal de 1969, em que o Teorema de Bell "is generalized so as to apply to realizable experiments". Seu pensamento filosófico foi organizado em um livro, Search for a Naturalistic World View, em dois volumes; o primeiro, dedicado ao Método Científico e Epistemologia e o segundo, aos fundamentos da Mecânica Quântica. Eu tive o grande privilégio de ter sido orientada por Abner Shimony, na Boston University, no final da década de 1970. Em nossa pesquisa, investigamos o chamado conceito epistêmico de probabilidade, proposto por E. T. Jaynes, sob o nome de Princípio de Entropia Máxima (capítulo 8, vol. 1). A Física perdeu um de seus grandes pensadores. Eu perdi meu professor, minha referência e um grande amigo.

Sempre vou lembrar aquela face bem americana, sorridente, o otimismo e confiança que passava a seus alunos e infindável apoio, mesmo depois de graduarmos; mas que nunca nos deixava desviar da crítica e rigor científicos. Trabalhar com ele foi uma lição de ciência e uma lição de vida. Duas passagens em nossa convivência ilustram o que era trabalhar com Abner.

A primeira, ilustra sua franqueza e honestidade intelectual. Eu lhe pedi um problema de tese nos Fundamentos da Mecânica Quântica; ouvi em resposta (com minhas palavras, agora): "Penha, Mecânica Quântica não é para sua geração, menos ainda para a minha". Ele me deu um problema nos Fundamentos da Mecânica Estatística; não queria ter de estudar comigo e só me orientaria, se eu aceitasse um problema em um assunto que ele já dominasse. Não me arrependi! Mergulhei em um mundo de problemas e formalismos fascinantes que me deram uma formação diferenciada. Se ele ainda manteria a mesma opinião, nunca vou saber, pois não tive a oportunidade de lhe perguntar; mas eu tendo a acreditar que a Mecânica Quântica ainda não é para minha geração.

A segunda ilustra sua generosidade. Há poucos anos atrás, telefonei de Boston para sua casa em New Haven, como combinado, pois pretendia visitá-lo. Estava hospitalizado, mas mesmo assim se preocupou em me mandar uma mensagem de otimismo e apoio, por intermédio de sua esposa, Manana Sikic: Que eu não desistisse do que fazia e acreditasse.

Abner, muito obrigada. Adeus para sempre!

Penha Maria Cardozo Dias,
Instituto de Física,
Universidade Federal do Rio de Janeiro.

PION

Portal SBF de
Divulgação da Física