Mensagem da Comissão de Gênero

A diversidade como instrumento de inovação

No momento em que a atual Comissão de Relação e Gênero da Sociedade Brasileira de Física (CRG-SBF) está no seu último semestre de atividades, consideramos oportuno nesta data, o dia Internacional da Mulher, apresentar uma breve avaliação de nossas atividades e destacar elementos que são importantes para a sociedade de física diante do problema de relações e gênero. No Brasil, apesar de algumas políticas de equidade de gênero já terem sido implementadas, ainda enfrentamos obstáculos desmesurados mas prementes, devido o impacto direto nas nossas atividades. Dois desses problemas são notáveis:  não há compreensão das causas da  sub-representatividade das mulheres na física e não há percepção de que esta ausência possa gerar um ambiente menos propício para a inovação.  Sem perder de vistas aspectos éticos e humanísticos, a  CRG-SBF vem pautando suas ações no debate sobre estes dois pontos.

Com o objetivo de trazer uma visibilidade à problemática de gênero na física, durante o ano de 2012, participamos de duas mesas redondas (*). Nestes eventos foram debatidas as possíveis razões para a presença reduzida de mulheres na física e de sua redução ainda mais drástica nos níveis de liderança científica e administrativa.  Um outro mecanismo usado  foi a criação da página eletrônica (*) onde notícias das atividades da Comissão, relatórios, dados e oportunidades de financiamento estão explicitados.

Com a finalidade de ampliar o debate sobre o fazer ciência e o gênero, não somente junto a comunidade da física e áreas afins, mas também com as gerações de jovens ainda no ensino médio, a CRG-SBF está editando um livro Mulheres na Física, em que aborda a problemática da relação ciência e gênero, com ênfase nas principais dificuldades para que ocorra uma maior participação das mulheres na área de física. O livro destaca também o papel de mulheres físicas pioneiras no Brasil, assim como os achados fundamentais para a física contemporânea de outras mulheres na história universal. O lançamento deve ocorrer até o fim desse ano.

Ainda no sentido de identificar obstáculos para a presença de mulheres na física, iremos realizar nos dias 3 e 4 de Junho, no Centro Brasileiro de Pesquisas Física a I Conferência Brasileira de Mulheres na Física. Neste evento, cuja página será lançada na segunda quinzena de março, abordaremos temas ligados à carreira, motivações de jovens para a física, maternidade, entre outros.

Reconhecendo que um dos grandes desafios a ser enfrentado por mulheres em uma profissão com uma demanda de produtividade elevada como a física é conciliar a carreira com a maternidade, a CRG enviou uma solicitação ao CNPq e à Capes para estenderem a licença maternidade, já existente para as bolsistas de doutorado, às diversas modalidades de bolsa.  Como resposta a esta demanda, o CNPq incluiu  na bolsa de produtividade em pesquisa uma ano adicional de bolsa para as bolsistas no ano em que tiverem um filho ou uma filha(**).

Esse conjunto de ações possui a marca política da ética e do humanismo, como já abordado anteriormente (*), mas inclui também elementos que se estabelecem, por exemplo, em análises de cartografias das profissões por sexo [1], e que apontam para fatos de pouca  visibilidade: a força de trabalho das mulheres nunca foi menor que um terço da população ativa; e atualmente chega a cinqüenta por cento [1], embora tenha pouca participação nas estruturas de decisões. Por outro lado, tendências androgênicas perdem força e espaço, em ambientes de maior qualificação.  Isto aponta para um outro resultado interessante no conjunto das atividades de sociedades contemporâneas industriais e pós-industriais: há uma correlação positiva entre diversidade e inovação; aspecto reconhecido e explorado no meio de setores produtivos, como o empresarial, há mais de uma década [2].  Em particular, observa-se que a atuação conjunta de grupos multiculturais de profissionais [3], onde a pluralidade se expressa na forma de etnia [4] ou de gênero [5], leva a um aumento da inovação e criatividade. Isto direciona gestores, governamentais e empresariais, a reestruturarem suas equipes de pesquisa e desenvolvimento [6,7,8], e lança novos elementos na discussão sobre a problemática de gênero.  

Neste dia internacional da mulher, nosso desejo é que todos e todas reflitam sobre a condição da mulher na nossa sociedade e sobre formas de ampliar a participação feminina no seu ambiente de trabalho. Esperamos contar com suas sugestões no e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e com a sua presença na I Conferência Brasileira de Mulheres na Física.
Elisa Maria Baggio Saitovitch (CBPF) - Coordenadora
Renata Zukanovich Funchal (IF-USP)
Marcia Cristina Bernardes Barbosa (IF-UFRGS)
Suani Tavares Rubin de Pinho (IF-UFBA)
Ademir Eugênio de Santana (IF - UnB)
Membros da Comissão de Relações e Gênero da SBF

(*)http://www.sbfisica.org.br/v1/index.php?option=com_content&view=article&id=83&Itemid=183
(**)http://www.cnpq.br/view/-/journal_content/56_INSTANCE_0oED/10157/100343

Referências bibliográficas
1.    Margaret Maruani, Monique Meron, Histórias mal contadas sobre o trabalho das mulheres,  http://diplomatique.org.br/artigo.php?id=1332, 07 de janeiro de 2013.
2.    B.A. Hennessey, T.M. Amabile, Reward, intrinsic motivation, and creativity, American Psychologist 53,  674 (1998).
3.     Nancy J. Adler (2002), International Dimensions Of Organizational Behavior, 4th edn. South Western, Thompson Leardoes ning, Cincinnati, Ohio. ISBN 0 324 05786.
4.     A. Niebuhr, Migration and Inovation: Does Cultura Diversity Matter for Regiogratton, nal  R&D Activity?, IAB Discussion Paper, 14, 1 (2006).
5.     L. Gratton, Innovative Potential: Men and Women in Teams. The Lehman Brothers  Center for Women in Business, Bi-annual report, London School of Economics, 1 (2007).
6.    Global Diversity and Inclusion: Fostering Innovation Through a Diverse Workforce Forbes Insight July, 1 (2011).
7.     Sharon Bell, Women in Science in Australia: Maximizing Productivity, Diversity and Innovation, Report prepared for the Federation of Australian Scientific and  Technological Societies, 1 (2009) ISBN: 978-0-9775991-5-8.
8.    European Commission, Diversity and Innovation : A business opportunity for all, http://ec.europa.eu/employment_social/progress/index_en.html

 

PION

Portal SBF de
Divulgação da Física