Mestrado profissional para professores avança na CAPES

Diligência prestará últimos esclarecimentos para que o projeto seja apreciado. Meta é iniciar o curso em 2013.

O processo de criação do MNPEF (Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física), voltado para professores de Física do Ensino Médio e Fundamental segue a todo vapor às vésperas do fim do ano. A CAPES recebeu a proposta da Sociedade Brasileira de Física e pediu uma diligência para obter alguns esclarecimentos específicos, antes que o projeto seja aprovado.

Entre as informações que precisam ser especificadas estão os polos que servirão de base para a construção do mestrado. Uma reunião será feita na última semana de novembro e a resposta será encaminhada à CAPES na segunda semana de dezembro. O objetivo é iniciar as aulas do curso nacional em 2013.

Em resposta à “Chamada para Credenciamento” enviada aos sócios no dia 13 de novembro, até agora, mais de 30 grupos já manifestaram interesse em constituir um polo, o que pode multiplicar imediatamente por um fator de 10 a capacidade de formação de professores em nível de mestrado para lecionar física no ensino fundamental e médio no Brasil.

Atualmente, são formados da ordem de 30 alunos por ano, nos três cursos existentes de mestrado profissional em ensino de física (baseados na UFES, UFRJ e UFRGS). A ideia do MNPEF é aumentar esta capacidade de formação.

O projeto elaborado pela SBF – que tem como secretária para Assuntos de Ensino Silvania Sousa do Nascimento, da UFMG – após consulta a esses grupos e tem como inspiração o mestrado da UFRGS, criado pelo Professor Marco Antonio Moreira, tido como o fundador da pesquisa em ensino de física no Brasil e um de seus maiores expoentes.

Foco em conteúdos

Embora a proposta tenha tentado conciliar ao máximo as diferentes grades de mestrado já existentes, o foco do projeto nacional é essencialmente em conteúdos. "Grande parte da carga horária é voltada para conteúdo de física contemporânea de tal maneira que o professor possa adequá-los à educação básica. Por isso, é necessário que os alunos produzam  dissertação e/ou material instrucional aplicados à realidade da sala de aula sobre  como, por exemplo, fazer uso das novas tecnologias, ou  como realizar experimentos."

Membros da comunidade de Pesquisa em Ensino de Física serão convidados a fazer parte da comissão de pós-graduação, para que possam com sua experiência na área ajudar a contribuir com o andamento do Mestrado Profissional e aperfeiçoar os rumos do curso nacional, dentro de sua proposta original.

"Já recebemos muitas sugestões e é óbvio que é impossível atender a todas, mas na medida do possível tentamos chegar a soluções de consenso", afirma Rita de Almeida.

A julgar pelas mensagens recebidas pela SBF, a resposta da comunidade tem sido entusiástica. Com mais de 30 candidatos a polos, confirma-se a expectativa de contribuir decisivamente com a formação de professores numa escala jamais vista. "Queremos criar um ambiente mais uniforme, que permita a formação de professores de maneira consistente no Brasil inteiro", afirma Celso Pinto de Melo, presidente da SBF. “Reunimos a comunidade de ensino de física e os pesquisadores em física para fazer uma síntese do que deveria ser esse curso.”

DOCUMENTOS
Formulário de credenciamento de polo
Proposta enviada à CAPES

CONTATO PARA MAIS INFORMAÇÕES
Rita Maria Almeida da Cunha (UFRGS)
E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

 

PION

Portal SBF de
Divulgação da Física