Nanotubos levam prêmio de melhor tese de doutoramento

Paulo Antonio Trindade Araújo, doutor pela UFMG, desenvolveu trabalho que rendeu 16 publicações em revistas internacionais de alto impacto.

paulo_fisicaFoco de pesquisas no mundo inteiro, os nanotubos de carbono foram protagonistas da tese de doutoramento vencedora da edição 2011-2012 do Prêmio José Leite Lopes, promovido pela Sociedade Brasileira de Física (SBF).

O autor da tese, Dr. Paulo Antonio Trindade Araújo, foi orientado pelo Prof. Ado Jório de Vasconcelos, do Departamento de Física da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). O trabalho resultou na publicação de nada menos que 16 artigos em revistas internacionais, sendo 2 na Physical Review Letters, 3 na Nanoletters e 4 na Applied Physics Letters. "O conjunto da obra, ainda que envolva outros pesquisadores no Brasil e do exterior, é bastante impressionante", diz Marcus de Aguiar, pesquisador da Unicamp e coordenador do prêmio.

Disputa apertada

Foram 29 teses inscritas na disputa -- mais que o dobro das enviadas no ano passado. "Os assuntos foram desde o estudo das propriedades de nanoestruturas, como nanofios metálicos e nanotubos de carbono, até Gravitação, Cosmologia e Mecânica Estatística, passando pelo Enovelamento de Proteínas e o Ensino de Física", diz Aguiar. "Essa diversidade de temas ligada à incrível qualidade dos trabalhos apresentados e das publicações que deles resultaram, dá uma ideia da dificuldade encontrada pela comissão julgadora em apontar um vencedor."

Além da tese premiada, a comissão decidiu conceder três menções honoríficas para os melhores trabalhos das outras áreas, em razão do desafio de comparar trabalhos tão distintos. As menções ficaram com Dra. Maria do Socorro Pereira, da UFAL, na área de mecânica estatística; Dr. André Landulfo, do IFT-UNESP, em informação quântica; e Dr. Marcio Teodoro, da UFSCAR, com seu trabalho no efeito Bohm-Aharonov.

O vencedor

O trabalho desenvolvido na tese de Araújo atacou duas questões fundamentais da nanociência, com foco na física dos nanotubos de carbono. A primeira diz respeito à influência do meio ambiente nas propriedades eletrônicas e vibracionais dos nanotubos.

Como essas estruturas nunca estão completamente isoladas, saber como suas propriedades mudam em situações reais, quando estão dissolvidas em um líquido, por exemplo, são de grande importância.

Mostrou-se que, de fato, as interações dos nanotubos com o meio ambiente aumentam certas frequências vibracionais dos nanotubos, mudando o chamado "espectro de fonons", e também alteram sua constante dielétrica.

Esses são aspectos fundamentais no desenvolvimento de tecnologias à base de nanotubos de carbono, pois definem um método para se obter as propriedades estruturais e eletrônicas destas estruturas nanoscópicas.

Na segunda parte do trabalho o autor construiu um sistema integrado de microscopia e espectroscopia que permitiu fazer manipulações em escala nanométrica sobre os nanotubos, usando microscopia de força atômica, e, ao mesmo tempo, medir os efeitos dessas manipulações com espectroscopia óptica de alta resolução.

Em particular, o trabalho elucidou as propriedades elásticas de nanotubos sujeitos a deformações. O estudo tem aplicações em uma das mais importantes aplicações destas nanoestruturas, que é o reforço mecânico em sistemas macroscópicos.

CONTATOS
Marcus Aguiar (Unicamp)
E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Assessoria de comunicação da SBF
Salvador Nogueira
Tel: +55 11 99178-9661
E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Twitter: http://twitter.com/sbfisica
Facebook: http://www.facebook.com/sbfisica

 

 

PION

Portal SBF de
Divulgação da Física