SBF repudia cortes a orçamento do MCTI

Recursos são reduzidos em 22% com relação a valores aprovados pelo Congresso para 2012

A Sociedade Brasileira de Física vem externar a sua profunda preocupação com os novos limites orçamentários recentemente anunciados pelo Governo Federal para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, que representam uma redução de recursos de mais de 22% em relação ao originalmente aprovado pelo Congresso nacional para o ano de 2012. No momento em que o Brasil começa a se afirmar no cenário internacional, consideramos tal redução orçamentária um grave retrocesso para a política de formação de recursos humanos qualificados, e o desenvolvimento científico nacional. É desanimador constatar que, pelo segundo ano consecutivo, cai a fração do PIB aplicada em ciência, tecnologia e inovação, o que nos coloca cada vez mais distante dos percentuais observados para o setor nos países desenvolvidos. Alertamos para o fato de que investimentos em Ciência, Tecnologia e Inovação baseiam-se fortemente em formação de pessoal altamente especializado; assim, a não continuidade dos planos de investimentos coloca em risco não apenas os objetivos futuros de nosso País, mas também as metas parciais já conquistadas pelo Brasil. As nações modernas reconhecem o valor da ciência e da tecnologia e, por isso mesmo, procuram preservar a estabilidade de financiamento a essas áreas como uma questão de interesse nacional. Mesmo em um quadro de incertezas no cenário econômico internacional, investem cada vez mais em ciência, tecnologia e inovação, por entenderem o papel multiplicador de uma sólida base de conhecimentos próprios. Na expectativa de que essa visão possa vir a ser também compartilhada por nossos dirigentes, solicitamos a urgente revisão dos limites de despesas presentemente estabelecidos.

São Paulo, 27 de fevereiro de 2012.
Diretoria - Sociedade Brasileira de Física

 

PION

Portal SBF de
Divulgação da Física