Brasil conquista 4 medalhas em Olimpíada Ibero-Americana de Física

País mantém hegemonia na competição ao conquistar dois ouros, uma prata e um bronze. Todos os alunos da equipe brasileira saíram premiados

equipe_OBF_OIbF_2011Isso é o que se pode chamar de vitória completa: todos os quatro componentes da equipe brasileira conquistaram medalhas na XVI Olimpíada Ibero-americana de Física (OIbF), realizada no Equador. Os alunos Kayo de França Gurgel e Lara Timbó Araújo levaram o ouro, enquanto Miguel Augusto de Bortoli Saggin ficou com a prata, e Davi Lima de Mesquita, com o bronze.

O evento aconteceu em Guayaquil, entre 26 de setembro e 1o de outubro e teve a participação de 64 estudantes de 17 países, sendo 15 da América Latina e 2 da Europa: Portugal e Espanha. Cada país podia enviar até quatro estudantes.

A equipe vencedora na OIbF. Da esquerda para a direita:
Miguel Augusto B. Saggin (CE), Lara T. Araújo (CE), Kayo F. Gurgel (CE), Davi L. Mesquita (CE)


Os resultados mantêm a supremacia do Brasil na OIbF, da qual o país participa desde 2000. Numa das edições, a delegação brasileira chegou a conquistar quatro medalhas de Ouro e o Top Gold (melhor estudante da competição), resultado inédito no torneio.

“É importante lembrar que neste ano conquistamos também uma medalha de Ouro e quatro de bronze na IphO [Olimpíada Internacional de Física], em julho, na Tailândia, disputando com 382 estudantes de 84 paises”, destaca Euclydes Marega Júnior, coordenador da Olimpíada Brasileira de Física (OBF) e pesquisador do Instituto de Física da USP de São Carlos (SP).

A competição nacional é a porta de entrada para os torneios internacionais. As equipes brasileiras a disputar as olimpíadas internacionais em 2011 iniciaram sua caminhada em 2009, quando foram selecionadas pela OBF dentre os 680 mil inscritos em todo País e então preparadas por uma equipe de professores coordenada por Marega Júnior. A OBF é um programa da Sociedade Brasileira de Física (SBF) de caráter nacional destinado a estudantes do Ensino Médio e último ano do Ensino Fundamental.

O projeto conta com o apoio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e tem entre seus objetivos despertar e estimular o interesse pela física, proporcionar desafios aos estudantes e aproximar a universidade do ensino médio e fundamental, além de incentivar a escolha de carreiras científico-tecnológicas.

A equipe de professores que realiza a OBF parabeniza os estudantes, seus professores e colégios.

 


PION

Portal SBF de
Divulgação da Física