Ato público na Câmara pede royalties do pré-sal para ciência

Organizado pela SBPC e pela ABC, movimento busca apoio popular para destinação de recursos à
educação e ao sistema CT&I


A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPF) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC) promoveram nesta quinta-feira (29) um ato público na Câmara dos Deputados, em Brasília, em defesa do uso dos recursos provenientes dos royalties da exploração do petróleo na camada pré-sal em educação, ciência, tecnologia e inovação.

A Sociedade Brasileira de Física (SBF) esteve representada na ocasião por seu presidente, Celso de Melo. Ele  manifestou seu apoio ao esforço, que conta com uma petição pública a ser entregue ao Congresso Nacional.

"É muito importante demonstrarmos agora essa preocupação, em vez de lamentar mais tarde as decisões que possam vir a ser tomadas", afirma Melo. "E é igualmente importante que a comunidade científica se envolva com o esforço, assinando a petição pública e manifestando seu apoio à iniciativa."

Para endossar o movimento, basta visitar o endereço http://www.peticaopublica.com.br/?pi=PL8051 e assinar eletronicamente o documento.

Proposta

Em carta enviada à Presidência da República no início do mês, a SBPC e a ABC destacaram a necessidade de que 30% dos recursos provenientes dos royalties de partilha destinados aos Estados, Municípios e Distrito Federal na exploração das reservas de petróleo na camada pré-sal sejam destinados à educação e ao sistema de CT&I (Ciência, Tecnologia e Inovação). A íntegra da carta pode ser encontrada aqui.

A iniciativa tem o apoio de uma série de instituições ligadas ao ensino e à pesquisa, como Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior), UNE (União Nacional dos Estudantes (UNE), Associação Nacional de Pós-graduandos (ANGP), Abipti (Associações Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação), Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras) e Anprotec (Associação de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores).

"Nossa proposta é de que os royalties do pré-sal sejam utilizados para resolver duas questões importantíssimas para o futuro do Brasil: melhorar a qualidade do ensino público e dotar nossas instituições de pesquisa e empresas das condições necessárias para promover a inovação tecnológica", disse Helena Nader, presidente da SBPC.

Para participar do movimento e assinar a petição pública, clique aqui.


CONTATO
Comunicação Social da SBF
Salvador Nogueira
E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Fone: +55 11 9178-9661

 

PION

Portal SBF de
Divulgação da Física