Premiações 2013

PRÊMIO JOSÉ LEITE LOPES DE MELHOR TESE DE DOUTORAMENTO 2013

Concorreram ao prêmio dezenove (19) trabalhos das áreas de Física Teórica e Experimental cujas teses foram defendidas no período de 2012-2013.

Indicações:
A Comissão julgadora outorgou o Prêmio de 2013 ao Dr. Farinaldo da Silva Queiroz com a tese intitulada “Detecção Direta e Indireta de Matéria Escura em Teorias de Gauge”, orientada pelo Prof. Paulo Sérgio Rodrigues da Silva (UFPB)

Receberam menções honoríficas:
Dr. Pedro Accioly Nogueira Machado com a tese “Tópicos em Física de Neutrinos” orientada pela Profa. Renata Zukanovich Funchal (IFUSP).
Dr. Carlos Alberto Batista da Silva Filho com a tese “Em busca de generalizações para classificação de Petrov e o Teorema de Goldberg Sachs” orientada pelo Prof. Bruno Geraldo Carneiro da Cunha (UFPE).

 A tese premiada percorre com desenvoltura diversos tópicos atuais nas áreas da física de partículas e campos, astrofísica e cosmologia, interligando-as e explorando suas complementaridades a serviço do tema principal, a busca pela Matéria Escura. O tema é abordado com clareza em seus aspectos teórico, fenomenológico e experimental, conferindo à tese uma abrangência significativa e realçando-lhe o valor documental. O trabalho nela desenvolvido apresenta resultados impactantes conforme evidenciado pela receptividade conferida às associadas.

Estruturada em cinco capítulos, o primeiro deles faz uma revisão sobre o que se sabe hoje teórica e experimentalmente sobre Matéria Escura, seus principais problemas e desafios. O capítulo 2 demonstra a viabilidade de um modelo fenomenológico para a Matéria Escura como férmions de Majorana. Tal viabilidade motiva o capítulo 3 onde o modelo ganha um envoltório teórico baseado na invariância de Gauge com quebra espontânea, e recebe uma análise detalhada de confronto com resultados experimentais. O tema ganha novas perspectivas nos capítulos remanescentes onde a cosmologia tem papel acentuado e se buscam resultados com menor dependência a modelos específicos. O capítulo 4 propõe a produção não térmica de Matéria Escura como um novo mecanismo igualmente consistente a outros propostos para a explicação de aspectos associados à expansão do universo. O capítulo 5, também inovador, desenvolve um método de análise da recepção de raios gamma provenientes do centro da galáxia pelo experimento Fermi-LAT (em órbita terrestre), gerando com isto uma técnica das mais efetivas atualmente para se impor limites às possíveis taxas de aniquilação da Matéria Escura.

 

Sociedade Brasileira de Física