Premiações 2013

PRÊMIO JOSÉ LEITE LOPES DE MELHOR TESE DE DOUTORAMENTO 2013

Concorreram ao prêmio dezenove (19) trabalhos das áreas de Física Teórica e Experimental cujas teses foram defendidas no período de 2012-2013.

Indicações:
A Comissão julgadora outorgou o Prêmio de 2013 ao Dr. Farinaldo da Silva Queiroz com a tese intitulada “Detecção Direta e Indireta de Matéria Escura em Teorias de Gauge”, orientada pelo Prof. Paulo Sérgio Rodrigues da Silva (UFPB)

Receberam menções honoríficas:
Dr. Pedro Accioly Nogueira Machado com a tese “Tópicos em Física de Neutrinos” orientada pela Profa. Renata Zukanovich Funchal (IFUSP).
Dr. Carlos Alberto Batista da Silva Filho com a tese “Em busca de generalizações para classificação de Petrov e o Teorema de Goldberg Sachs” orientada pelo Prof. Bruno Geraldo Carneiro da Cunha (UFPE).

 A tese premiada percorre com desenvoltura diversos tópicos atuais nas áreas da física de partículas e campos, astrofísica e cosmologia, interligando-as e explorando suas complementaridades a serviço do tema principal, a busca pela Matéria Escura. O tema é abordado com clareza em seus aspectos teórico, fenomenológico e experimental, conferindo à tese uma abrangência significativa e realçando-lhe o valor documental. O trabalho nela desenvolvido apresenta resultados impactantes conforme evidenciado pela receptividade conferida às associadas.

Estruturada em cinco capítulos, o primeiro deles faz uma revisão sobre o que se sabe hoje teórica e experimentalmente sobre Matéria Escura, seus principais problemas e desafios. O capítulo 2 demonstra a viabilidade de um modelo fenomenológico para a Matéria Escura como férmions de Majorana. Tal viabilidade motiva o capítulo 3 onde o modelo ganha um envoltório teórico baseado na invariância de Gauge com quebra espontânea, e recebe uma análise detalhada de confronto com resultados experimentais. O tema ganha novas perspectivas nos capítulos remanescentes onde a cosmologia tem papel acentuado e se buscam resultados com menor dependência a modelos específicos. O capítulo 4 propõe a produção não térmica de Matéria Escura como um novo mecanismo igualmente consistente a outros propostos para a explicação de aspectos associados à expansão do universo. O capítulo 5, também inovador, desenvolve um método de análise da recepção de raios gamma provenientes do centro da galáxia pelo experimento Fermi-LAT (em órbita terrestre), gerando com isto uma técnica das mais efetivas atualmente para se impor limites às possíveis taxas de aniquilação da Matéria Escura.

 

Destaque em Física

Sociedade Brasileira de Física